Fique por dentro

O que é?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus foi descoberto em 31/12/19 após casos registrados na China. Provoca a doença chamada de Covid-19. Os primeiros coronavírus humanos foram isolados pela primeira vez em 1937. No entanto, foi em 1965 que o vírus foi descrito como coronavírus, em decorrência do perfil na microscopia, parecendo uma coroa. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, com sintomas parecidos com os da gripe. No caso da Covid-19, a grande maioria dos infectados apresentará sintomas leves e muito parecidos com o de uma gripe comum. Todavia, pacientes idosos, doentes crônicos, diabéticos, hipertensos e cardíacos são mais suscetíveis ao agravamento do quadro, principalmente com complicações respiratórias. Por isso é tão importante conter a disseminação do vírus, já que mesmo que um paciente não apresente sintomas graves, ele pode ser transmissor do vírus para os pacientes que fazem parte do “grupo de risco”.

Transmissão

A transmissão acontece através do contato com pessoas infectadas, seja de forma direta ou com gotículas respiratórias que carregam o vírus e podem ficar em superfícies como maçanetas de portas, mesas, teclados de computador. Assim, a transmissão do coronavírus pode acontecer através de gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos. O período médio de incubação do coronavírus é de 5 dias, mas pode chegar a até 12 dias. Isso significa que o período entre o momento em que o paciente tem contato com o vírus e o início dos sintomas pode ser de até 12 dias.

Sintomas

Os sintomas mais comuns apresentados até agora são tosse, febre, coriza, dores no corpo e dificuldade para respirar.
Como a Covid-19 ainda é uma doença muito nova, a atenção e prevenção precisam ser redobradas, pois podem existir sintomas e sequelas ainda não identificados.
Também é importante lembrar que alguns pacientes não apresentarão sintomas, mesmo contaminados, pois a manifestação da doença varia muito. Mas, mesmo os pacientes assintomáticos podem disseminar o vírus e contagiar outras pessoas que poderão apresentar os sintomas.

Tratamento

Ainda não existe um medicamento ou vacina disponível no mercado que tenha comprovado eficácia contra o coronavírus que causa a Covid-19. Como a doença é nova, os estudos também são recentes, embora pesquisadores de todo o mundo estejam trabalhando muito para desenvolver medicamentos e vacinas que sejam capazes de combater o vírus da Covid-19.
Assim, o tratamento nos casos menos graves é feito por meio da administração de analgésicos e antitérmicos, para amenizar os sintomas, além de repouso e hidratação. Não é necessária, nem recomendada, a internação de pacientes com sintomas leves; o ideal é que o paciente fique em isolamento social, em casa, evitando contato direto com os familiares, mas sem ficar exposto a doenças oportunistas.
Nos casos mais graves, em que os pacientes apresentam complicações, cada uma das possíveis complicações é tratada seguindo protocolos específicos, podendo ser necessária a internação do paciente. Somente nesses casos é que é indicada a hospitalização.

Como prevenir?

Evite ficar em contato próximo a pessoas com febre e tosse.
Procure a Unidade Básica de Saúde do seu bairro se apresentar sintomas como febre, tosse e dificuldade de respirar.
Não há recomendação para uso de máscaras para a população geral, as máscaras são indicadas para aqueles que apresentam sintomas para que não transmitam a outros, e não são eficientes para pessoas saudáveis prevenirem o contágio.
Fazer a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel, e evitar contato com mucosas de nariz, boca e olhos.
FIQUE ATENTO: Quem esteve em países com casos confirmados da doença ou em contato com pacientes confirmados e apresentar sintomas suspeitos deve evitar o contato com outras pessoas e procurar um serviço médico imediatamente.

O que é isolamento social e porque devemos nos isolar?

O isolamento social nada mais é que a restrição de contato entre as pessoas e é importante para conter a velocidade de transmissão do vírus. Já que não temos ainda uma vacina, a única forma de conter a propagação do vírus é evitar o contato entre pessoas contaminadas e saudáveis.
Assim, devemos evitar aglomerações e circular o mínimo possível, diminuindo o número de pessoas com quem temos contato e, portanto, reduzindo o risco de contágio.
Por esse motivo, as medidas adotadas pelas autoridades incluem a suspensão das aulas, proibição da realização de eventos esportivos e culturais, recomendações para evitar até mesmo o comparecimento em missas e cultos religiosos.

Verdadeiro ou Falso

Falso

Os antibióticos são eficazes na prevenção e tratamento do coronavírus? A OMS refere que não, esses medicamentos funcionam apenas contra bactérias. Contudo ressalva que é possível receber antibióticos se estiver hospitalizado, uma vez que a co-infecção bacteriana pode acontecer.

Falso

Banho muito gelado ou muito quente combate o novo coronavírus. Circulam pelas redes sociais mensagens que afirmam que tomar um banho bem quente (ou bem frio) pode prevenir o contágio ou mesmo combater o coronavírus. É #FAKE. A Organização Mundial de Saúde (OMS) afirma que tomar um banho quente não impede ninguém de pegar a Covid-19. "A temperatura corporal normal permanece em torno de 36,5ºC a 37ºC, independentemente da temperatura do banho/chuveiro. Na verdade, tomar um banho com água extremamente quente pode ser prejudicial, pois pode provocar queimaduras", diz a entidade.

Falso

É falsa a informação de que ozonioterapia é eficiente para o tratamento da Covid-19. A Sociedade Brasileira de Infectologia diz ter recebido vários questionamentos sobre a eficácia da prevenção da infecção pelo novo coronavírus por meio da ozonioterapia. "Não há qualquer evidência científica que a ozonioterapia proteja contra a Covid-19", afirma a entidade.

Falso

Vitamina C pode ajudar a prevenir o coronavírus. Falso. "Não há nenhuma evidência que indique que a vitamina C previna ou trate qualquer infecção, muito menos o novo coronavírus", diz Kfouri. De acordo com o médico, nenhuma vitamina tem eficácia comprovada na prevenção. Para diminuir as chances de contágio, as melhores práticas são lavar as mãos com frequência, evitar aglomerações e cobrir a boca e o nariz com o antebraço ao tossir ou espirrar.

Verdadeiro

Evitar passar as mãos em corrimões, pois o coronavírus sobrevive até 12h em superfícies metálicas. Estudo publicado pelo órgão britânico de prevenção a infecções hospitalares mostra que coronavírus semelhantes ao novo Covid-19 sobreviveram por até nove dias em superfícies como plásticos, metais ou vidros.

Falso

É falsa a informação de que a vacina da gripe imuniza contra o coronavírus. A Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) ressalta que a vacina da gripe não protege contra o novo coronavírus, apenas contra o influenza. A recomendação para vacinar os idosos é para que eles não sejam contaminados pelo vírus da gripe e fiquem ainda mais suscetíveis a complicações em caso de infecção também pelo coronavírus. Também fica mais fácil para as autoridades médicas identificarem as suspeitas, já que os imunizados não estarão sujeitos às gripes.

Falso

É falso que tomar chá ou fazer gargarejo com líquidos quentes mata o vírus. O vírus não pode ser combatido com a ingestão de bebidas quentes. Os antibióticos também não são recomendados para prevenção ou tratamento. Segundo o Ministério da Saúde, ainda não há um medicamento ou substância específica, vitamina, alimento ou mesmo vacina para evitar a doença.

Dicas

Cães e gatos não transmitem novo coronavírus

Seus pets não são transmissores do novo coronavírus! Tomando os cuidados básicos de higiene, pode brincar à vontade!

Quarentena não é lazer.

Ficar em casa nesse momento é para ter contato com o mínimo de pessoas e situações de exposição ao vírus. Não leve seu filho brincar na Praça, não saia fazer atividade física em grupo.

Evite visitas aos idosos

Nossos idosos precisam de carinho e atenção, mas, neste momento, evite as visitas. Um telefonema, uma mensagem farão que eles saibam que são queridos, sem risco de se contaminarem.

Quando procurar a unidade de Saúde?

É mais seguro ficar em casa, em isolamento social, se você tiver sintomas leves. Vá até a unidade de Saúde somente se você apresentar sintomas graves. Informe-se através do telefone da UBS do seu bairro.

Amar é manter distância

Ao cumprimentar as pessoas, não beije, abrace ou aperte as mãos. O contato físico é a forma mais comum de contágio.

Fuja das notícias falsas

Procure fontes seguras e oficiais de informação.

Mantenha-se calmo

Manter a calma é fundamental para que não sejamos vítimas de fake news, alarmes falsos e crises de pânico.

Fique em casa!

Isolamento social é a melhor maneira de combater a proliferação do vírus.

Últimas Notícias

Vídeos